Reabilitação Vestibular em Idosos com Tontura e Hipertensão Arterial Sistêmica

Caio Machado Paoli, Daniella Porto Silva, Luciana Martins Zullani

Resumo


Resumo: avaliar o efeito da Reabilitação Vestibular (RV) como forma de tratamento em idosos com Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) para o controle das queixas de equilíbrio. Desenvolve-se na Oficina do Equilíbrio da UNATI-PUC Goiás, dos 25 alunos selecionaram-se 13 idosos, sendo 3(25%) do gênero masculino e 10(77%) do feminino com idade entre 61 a 90 anos. Todos os sujeitos responderam ao Dizziness Handicap Inventory (DHI) pré e pós-tratamento e realizaram os exercícios de RV. No questionário DHI os resultados demonstram a condição do estado de saúde dos indivíduos com tontura e desequilíbrio e sua interferência na Qualidade de Vida pré e pós RV. possível avaliar o efeito da RV como forma de tratamento em indivíduos com HAS; o DHI permitiu comparar os resultados pré e pós RV; a RV quando empregada em grupo é eficaz.
Palavras-chave: Reabilitação Vestibular. Idoso. Hipertensão Arterial Sistêmica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v24i0.3572

Rodapé - Fragmentos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B1

Visitantes - (04/09/2017 - 03/12/2019)

Fonte: Google Analytics.