Instituições Prisionais: atenção psicossocial, saúde mental e reinserção social

Suely Marques Rosa, Fernanda Costa Nunes

Resumo


Resumo: o aumento da criminalidade preocupa a sociedade que, desconhecendo a realidade das instituições prisionais, passou a exigir o confinamento e o endurecimento das penas imputadas aos criminosos. Por outro lado, a precariedade dos estabelecimentos prisionais em nosso país, em vez de cumprir seus objetivos de recuperação, contribuiu para o agravamento da situação de violência, o que fez com que as condições de insalubridade e a atenção à saúde desta população passassem a ser questionadas. O estudo aborda a questão da violência e as instituições prisionais enquanto solução encontrada pela sociedade para sua redução; discute a atenção em saúde à população encarcerada enfocando a problemática que envolve o trabalho carcerário, a atenção em saúde mental e os profissionais que atendem a esta população, destacando o terapeuta ocupacional.
Palavras-chave: Violência. Presídios. Trabalho prisional. Reinserção social. Saúde mental em presídios.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v24i1.3393

Rodapé - Fragmentos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B1

Visitantes - (04/09/2017 - 03/12/2019)

Fonte: Google Analytics.