Epistemologia da Ayahuasca e a Dissolução das Fronteiras Natureza/Cultura da Ciência Moderna

Maria Betânia Barbosa Albuquerque

Resumo


Resumo: este artigo faz uma reflexão sobre a ayahuasca como uma beberagem de origem indígena considerada pelos diversos grupos usuários como uma planta professora por meio da qual é possível obter conhecimentos. Com base nas reflexões de Boaventura de Sousa Santos analisa a epistemologia xamânica subjacente à experiência da ayahuasca no sentido de evidenciar sua contribuição para a dissolução das fronteiras entre homem/animal e entre natureza/cultura engendrando, por conseguinte, outros modos de pensar e conhecer o real, outras epistemologias
Palavras-chave: Ayahuasca. Xamanismo. Epistemologia. Ciência moderna.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v24i2.3303

 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis B3