História e Profecia: a figura da besta em Ap 13,1-18

Dionivaldo Pires

Resumo


Resumo: o presente estudo tenta mostrar a percepção que o autor do Apocalipse tem sobre o sistema político de seu tempo e o seu pensar sobre o modo de proceder do cristão. O estudo leva em consideração a particular unidade de Ap 13, assim como o caráter símbolico da narração. Por isso, valoriza o papel protagonista do grupo de escuta cristão atento a decifrar uma mensagem que pode ser aplicada à própria vida. Tratraremos, portanto, dos elementos proponderantes da exegese do texto, a saber: a leitura em chave política da figura da besta, a formação do falso reino em torno dos falsos valores gerados por sua atividade e influência, assim como a reação da comunidade positiva e o papel particular do grupo de escuta dentro dela.

Palavras chave: Grupo. Resistência. Escuta. Perverança. Prática

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v21i1.1664

Rodapé - Fragmentos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B1

Visitantes - (04/09/2017 - 03/12/2019)

Fonte: Google Analytics.