Segmentação, Esfera Pública Virtual e Horizontalidade Dialógica da Comunicação nas Redes Sociais

Ismar Borges de Lima, Noêmia Félix da Silva

Resumo


Este artigo oferece uma análise crítica acerca da verticalidade estrutural dos meios de comunicação de massa e da hierarquização da indústria cultural bem como contextualiza as redes sociais indicando a sua segmentação e as ferramentas de interatividade como parte de uma cyberdemocracia. Parte-se do pressuposto de que o fenômeno corrente é o da ?horizontalidade dialógica? na comunicação virtual que, por sua vez, nutre a expansão do ?capital social?, democratiza o acesso à informação, e forma uma ?opinião pública? mais isenta. Para sustentar sua tese de ?verticalidade? e ?horizontalidade?, os autores citam Milton Santos e o modelo habermasiano de esfera pública, além de uma reflexão sobre ?modernidade? fundamentando a discussão com uma abordagem sociológica. No entanto, o artigo é provocativo ao assumir que o conteúdo transferido pelas redes sociais é, maiormente, superficial (abstrato), e, portanto, restrito a serviço da mídia como fonte de informação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v20i2.1369

Rodapé - Fragmentos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B1

Visitantes - (04/09/2017 - 03/12/2019)

Fonte: Google Analytics.