O Fenômeno Mitológico nas Igrejas Assembléias de Deus: o mito como meio de sustentação e forma de gerir novas igrejas

Marina Aparecida de Oliveira dos S. Correa

Resumo


A presente comunicação objetiva identificar o fenômeno mitológico das Igrejas Assembléias de Deus (ADs), por meio do trabalho espiritual e social realizado pelos fundadores suecos, Adolf Gunnar Vingren e Daniel Berg, em 1911, na cidade do Belém do Pará. Ao chegarem ao Brasil, os missionários suecos perceberam as várias carências sofridas pelas pessoas que viviam a margem desta sociedade, e confirmaram a Revelação de Deus na realização do trabalho missionário que atendesse as necessidades espirituais e sociais dessa população. Dessa maneira, será realizada uma leitura da fundação da primeira igreja a partir dos diários dos fundadores, e através desta, identificar e analisar a questão do mito fundante que proporcionou uma mudança comportamental no convertido, que ao receber essa mensagem, torna-se o anunciador da Revelação Divina. A compreensão dessa relação passa a ser interpretada então pelos seus fieis, a partir de um novo modelo de vida; de fidelidade para com Deus e com eles mesmos, e desta forma, o mito é renovado e confirmado como meio profético de construção e sustentação das igrejas ao longo de sua história.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v19i6.1189

Rodapé - Fragmentos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B1

Visitantes - (04/09/2017 - 03/12/2019)

Fonte: Google Analytics.