Bulgária à s Avessas: a contralógica em O Púcaro Búlgaro, de Campos de Carvalho

Gabriela Azeredo Santos

Resumo


Entendendo a linguagem como um fenômeno fundamentalmente dialógico e como interação social, propõe-se, neste artigo, uma leitura de O púcaro búlgaro, de Campos de Carvalho, à  luz dos estudos sobre ironia, chiste e carnavalização, posto que, na referida obra, as comunidades discursivas fornecem o contexto para o emprego e a atribuição de ironia, utilizada como estratégia discursiva para desmascarar a existência social e revelar o seu significado latente.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/frag.v19i4.1077

Rodapé - Fragmentos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


FRAGMENTOS DE CULTURA | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | Instituto de Filosofia e Teologia | Sociedade Goiana de Cultura | e-ISSN 1983-7828 | Qualis CAPES Preliminar 2019 = B1

Visitantes - (04/09/2017 - 03/12/2019)

Fonte: Google Analytics.