Qualidade de vida e sintomas de depressão e ansiedade em portadores de insuficiência cardíaca crônica

Elizabeth Rodrigues de Morais, Carolyna de Sousa Carvalho, Lais Euqueres, Fabiana Pavan Viana, Adriana Márcia Monteiro Fantinati, Salvador Rassi

Resumo


Resumo: A presente pesquisa teve por objetivo verificar e correlacionar sintomas de depressão e ansiedade com a qualidade de vida de portadores de insuficiência cardíaca crônica (IC). Através de um estudo transversal foram avaliados 81 indivíduos com diagnóstico clínico de insuficiência cardíaca atendidos em ambulatório de referência em insuficiência cardíaca de um Hospital público de Goiânia. Foram utilizados: escala de ansiedade e depressão de Beck (BAI e BDI) e questionário de qualidade de vida (Minnesota Living With Heart Failure Questionnaire – MLHFQ). A média de idade dos participantes da pesquisa foi de 56,7±12,4, a maioria era do sexo masculino (65,4%), fração de ejeção de 33,3±7,3% e 74,1% eram da classe funcional II segundo a New York Heart Association (NYHA). A média da qualidade de vida (QV) total encontrada foi de 35,4±21,9, dimensão física de 16,4±10,4 e dimensão emocional de 6,6±5,5. As médias das escalas de Beck foram: BAI: 16,2±11,3 e BDI: 13,6±10,4. 32% da amostra apresentaram sintomas moderados a graves de ansiedade e 25,9% apresentaram sintomas moderados a grave de depressão. As correlações feitas demonstraram que o BAI correlacionou-se com a QV total (r=0,68, p<0,01), dimensão física (r=0,60, p<0,01) e com a dimensão emocional (r=0,57, p<0,01); o BDI também correlacionou-se com a QV total (r=0,76, p<0,01), dimensão física (r=0,65, p<0,01) e com a dimensão emocional (r=0,65, p<0,01). Diante disso, foram identificados sintomas de depressão e ansiedade na amostra estudada indicando que esses transtornos emocionais impactam na qualidade de vida dos portadores de IC.

Quality of life and symptoms of depression and anxiety
in patients with chronic heart failure


Abstract: The present study aimed to verify and correlate the symptoms of depression and anxiety with a quality of life of patients with chronic heart failure (HF). Through a cross-sectional study, 81 clinical diagnoses of heart failure attended at a reference outpatient clinic in heart failure at a Public Hospital in Goiânia. The following were used: Beck's Anxiety and Depression Scale (BAI and BDI) and the Minnesota Living With Heart Failure Questionnaire (MLHFQ). A mean age of the research participants was 56.7 ± 12.4, the majority were male (65.4%), ejection fraction was 33.3 ± 7.3%, and 74.1% were of the class functional II according to the New York Heart Association (NYHA). The mean total quality of life (QOL) found was 35.4 ± 21.9, physical dimension of 16.4 ± 10.4 and emotional dimension of 6.6 ± 5.5. As averages of the Beck scales were: BAI: 16.2 ± 11.3 and BDI: 13.6 ± 10.4. 32% of the sample had moderate to severe anxiety symptoms and 25,9% presented moderate to severe depression symptoms. As correlations, BAI correlated with total QOL (r = 0.68, p<0,01), physical dimension (r = 0.60, p<0,01) and with an emotional dimension (r = 0.57 , p<0,01); the BDI also correlated with total QoL (r = 0.76, p<0,01), physical dimension (r = 0.65, p<0,01) and with an emotional dimension (r = 0.65, p<0,01). Therefore, they were identified in an exciting way in the studied sample, indicating that emotional disorders impact the quality of life of patients with HF.

Palavras-chave


Insuficiência Cardíaca; Depressão; Ansiedade; Qualidade de Vida; Heart Failure; Depression; Anxiety; Quality of Life

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, A.A., SOUSA, M.M., SILVA, E.P., SANTOS, S.R., COSTA, M.M.L & SILVA FILHO, I.G. 2014. Perfil epidemiológico e clínico de pacientes acometidos por insuficiência cardíaca. Revista de enfermagem UFPE on line. 8(3): 509-513.

BOCCHI, E.A., BRAGA, F.G.M., FERREIRA, S.M.A., ROHDE, L.E.P, OLIVEIRA, W.A., ALMEIDA, D.R., et al. 2009. Sociedade Brasileira de Cardiologia. III Diretriz Brasileira de Insuficiência Cardíaca Crônica. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. 93 (1 supl.1): 1-71.

ALITI, G.B., LINHARES, J.C.C., LINCH, G.F.C., RUSCHEL, K.B. & RABELO, E.R. 2011. Sinais e sintomas de pacientes com insuficiência cardíaca descompensada: inferência dos diagnósticos de enfermagem prioritários. Revista Gaúcha de Enfermagem. 32(3): 590-5.

PELEGRINO, V.M., DANTAS, R.A.S. & CLARK, A.M. 2011. Determinantes da qualidade de vida relacionada à saúde em pacientes ambulatoriais com insuficiência cardíaca. Revista Latino-americana de Enfermagem. 19(3): 1-7.

YOHANNES, A.M., WILLGOSS, T.G., BALDWIN, R.C & CONNOLLY, M. J. 2010. Depression and anxiety in heart failure and chronic obstructive pulmonar disease: ´revalence, relevance, clinical imolications and management principles. International Journal of Geriatric Phychiatry. 25: 1209-1221.

ROSSI NETO, J.M. 2004. A dimensão do problema da insuficiência cardíaca do Brasil e do mundo. Revista da Sociedade Paulista de Cardiologia. 14(1): 1-8

SOARES, D.A., TOLEDO, J.A.S., SANTOS, L.F., LIMA, R.M.B. & GALDEANO L.E. 2008. Qualidade de vida de portadores de insuficiência cardíaca. Acta paulista de enfermagem. 21(2):243-8.

BERTANI I.F., REZENDE R.M., PARZEWSKI C.C.F. & LOURENÇO E.A.S. 2005. Instrumentos e métodos para medir qualidade de vida. Revista da Sociedade Paulista de Cardiologia. 15 (5): 8-15.

CARDOSO G., TRANCAS B., LUENGO A. & REIS D. 2008. Insuficiência cardíaca e depressão: uma associação com relevância clínica. Revista Portuguesa de Cardiologia 27(1): 91-109.

GORESTEIN C. & ANDRADE L. 1998. Inventário de depressão de beck: propriedades psicométricas da versão em português. Archives of Clinical Psychiatry. 25(5): 245-250.

JIANG W., KUCHIBHATLA M., CUFFE M.S., CHRISTOPHER E.J., ALEXANDER J.D., CLARY G.L., BLAZING M.A., GAULDEN L.H., CALIFF R.M., KRISHNAN R.R. & O'CONNOR C.M. 2004. Prognostic value of anxiety and depression in patients with chronic heart failure. Circulation. 110 (22): 3452-6.

KENDALL P.C., HOLLON S.D., BECK A.T., HAMMEN C.L.& INGRAM R.E. 1987.Issues and recommendations regarding use of the beck depression inventory. Cognitive Therapy and Research. 11(3): 289-299.

WILLIAMS J.G., BARLOW D.H.& AGRAS W.S. 1972. Behavioral measurement of severe depression. Archives of General Psychiatric. 27(3): 330-3.

ANDRÉO J.S. 2010. Sintomas de ansiedade e depressão: A remodelação psíquica na insuficiência cardíaca [Dissertação]. Uberlândia: Universidade Federal de Uberlândia.

CUNHA J.A. 2001. Manual da versão em português das escalas de beck. São Paulo: Casa do psicólogo.

GORENSTEIN C. & ANDRADE L. 2000. Questionário de Depressão de Beck - Propriedades Psicométricas da Versão em Português. In: Andrade HSGL, Waldo A, editores. Escalas de avaliação clínica em psiquiatria e psicofarmacologia. São Paulo: Lemos Editorial.

CARVALHO V.O., GUIMARAES G.V., CARRARA D., BACAL D. & BOCCHI E. 2009. Validação da versão português do Minnesota Living with heart failure questionnaire. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. 93(1): 39-44.

BEHLOULI H., FELDMAN D.E., DUCHARME A., FRENETTE M., GIANNETTI N., GRONDIN F. MICHEL C., SHEPPARD R. & PILOTE L. 2009. Identifying relative cut-off scores with neural networks for interpretation of the Minnesota Living with Heart Failure questionnaire. Conf Proc IEEE Engineering in Medicine and Biology Society.. 2009: 6242-6.

LIMA P.B. & MORAIS E.R. 2014. Qualidade de vida e nível de atividade física de pacientes portadores de insuficiência cardíaca crônica. ASSOBRAFIR Ciência. 5(1): 27-39.

CONCEIÇÃO A.P. 2015. Preditores da Qualidade de Vida Relacionada a Saúde de Pacientes Portadores de Insuficiência Cardíaca. [Dissertação]. São Paulo: Universidade de São Paulo.

ALMEIDA NETO O.P. 2015.Qualidade de Vida Relacionada à Saúde de Pacientes com Insuficiência Cardíaca. [Dissertação]. Uberaba: Universidade Federal do Triângulo Mineiro.

PENA F.M., AMORIM A., FASSBENDER C., OLIVEIRA R.F.J., FARIA C.A.C. 2011. Insuficiência cardíaca e depressão: uma associação com desfechos negativos. Insuficiência Cardíaca. 6(4): 170-178.

TENG C.T., HUMES E.C. & DEMETRIO F.N. 2005. Depressão e comorbidades clínicas. Revista de Psiquiatria Clínica. 32(3): 149-159.

GOTTLIEB S.S., KHATTA M., FRIEDMANN E., EINBINDER L., KATZEN S., BAKER B., MARSHALL J., MINSHALL S., ROBINSON S., FISHER M.L., POTENZA M., SIGLER B., BALDWIN C. & THOMAS S.A. 2004. The influence of age, gender, and race on the prevalence of depression in heart failure patients. Journal of the American College Cardiology. 43(9): 1542-9.

HALLAS C.N., WRAY J., ANDREOU P. & BANNER N.R. 2011. Depression and perceptions about heart failure predict quality of life in patients with advanced heart failure. Heart & Lung. 40(2), 111-121.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/evs.v45i1.6286

 

Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


evs | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-781X | Qualis B3

Flag Counter