Índice de resto ingestão antes e após campanha de conscientização de comensais

Carla Carolina Batista Machado, Vinicius Sousa Chaves, Valéria de Souza Abreu

Resumo


O objetivo do estudo foi avaliar o índice de resto ingestão do almoço dos colaboradores de um hospital público de Goiânia-GO, antes e após campanha de educação alimentar e nutricional. Esta pesquisa é do tipo original de caráter observacional, quantitativa e descritiva. A coleta de dados foi realizada em uma UAN durante três semanas. Na primeira semana realizou-se a coleta de resto ingesta produzidos durante o almoço, na segunda semana fez-se uma campanha de educação alimentar e nutricional junto aos comensais e na terceira semana foi realizada a coleta de resto ingesta produzidos no almoço. Para obter o valor do peso da refeição distribuída foi aferido o peso das cubas de cada preparação depois de prontas, descontando o valor do recipiente. Para calcular o índice de resto ingestão foi utilizada a formula: (peso do resto x 100) / peso da refeição distribuída. As médias obtidas do índice de resto ingestão antes e depois da campanha educativa foram de 7,76% e 6,80%, e o resto per capita de 41,27g antes da campanha e 40,39g após a campanha. A análise dos resultados demostrou que não houve diferença significativa antes e depois da campanha de educação alimentar e nutricional. Conclui-se que dentro de uma UAN o índice de resto ingestão é uma ferramenta muito importante e deve ser investigado periodicamente, a fim de descobrir como está sendo a aceitação do cardápio. Os resultados obtidos evidenciaram que a UAN estudada juntamente com seus comensais, são conscientizados para a redução do desperdício de alimentos.

Palavras-chave


Alimentação Coletiva; Desperdício de alimentos; Educação Alimentar e Nutricional.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL, CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS. 2005. Resolução nº 380/2005. 09 de dezembro.

ABREU, E. S. de., SPINELLI, M. G. N., & PINTO, A. M. de. S. 2009. Gestão de unidades de alimentação e nutrição: um modo de fazer. Editora Metha, São Paulo. 342p.

WENDISCH, C.2010. Avaliação da qualidade de unidades de alimentação e nutrição (UAN) hospitalares: construção de um instrumento. Dissertação de Mestrado, Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca. 133 p.

NONINO-BORGES, C. B., RABITO, E. I., SILVA, K. da. FERRAZ, C. A., CHIARELLO, P. G., SANTOS, J. S. dos. & MARCHINI, J. S. 2006. Desperdício de alimentos intra-hospitalar. Revista de Nutrição 3: 349-356.

CORRÊA, T. A. F., SOARES, F. B. da. SILVA. & ALMEIDA, F. Q. A. de. 2006. Índice de Resto-ingestão antes e durante a campanha contra o desperdício, em uma unidade de alimentação e nutrição. Revista Higiene Alimentar, 140: 64-73.

MÜLLER, P. C. 2008. Avaliação do desperdício de alimentos na distribuição do almoço servido para os funcionários de um hospital público de Porto Alegre – RS. Dissertação de graduação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul 33 p.

BRITTO, A. D. P. & OLIVEIRA, F. R. G. 2017. Desperdício alimentar: conscientização dos comensais de um serviço hospitalar de alimentação e nutrição. Revista Arquivos de Ciências da Saúde, 2: 61-64.

CASTRO, M. D. A. S. de., OLIVEIRA, L. F. de., PASSAMANI, L. & SILVA, R. B. da. 2003. Resto-ingesta e aceitação de refeições em uma unidade de alimentação e nutrição. Revista Higiene Alimentar 114/115: 24-28.

VAZ C.S. 2006. Restaurantes: controlando custos e aumentando lucros. Editora Marth, Brasília. 196 p.

SILVA, A. P. S., SILVA, M. A., SPINELLI, M. G. N., MATIAS, A. C. G. & COELHO, H. D. S. 2016. Intervenção educativa no controle de restos em unidade de alimentação e nutrição. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações 2:319-327.

ABREU, E. S. de., SIMONY, R. F., DIAS, D. H. S. & RIBEIRO, F. R. O. 2012. Avaliação do desperdício alimentar na produção e distribuição de refeições de um hospital de São Paulo. Revista Simbio-Logias 7: 42-50.

TEIXEIRA, S., CARVALHO, Z. M. J. & BISCONTINI, T. M. 2010. Administração Aplicada: Unidades de Alimentação e Nutrição. Editora Atheneu, São Paulo. 219 p.

MEZOMO, I. F. B. 1994. A administração de Serviços de Alimentação. Editora Manole, São Paulo. 469 p.

RABELO, N. de. M. L. & ALVES, T. C. U. 2016. Avaliação do percentual de resto-ingestão e sobra alimentar em uma unidade de alimentação institucional. Revista Brasileira de Tecnologia Agroindustrial 1: 2039-2052.

VIANA, K. L. S. & SOUZA, A. L. M. de. 2015. Avaliação do índice de resto ingestão, antes e durante uma campanha educativa, em unidade de alimentação e nutrição (UAN), Porto Velho – RO. Revista Connection Line 14: 47-56.

AUGUSTINI, V. C. M., KISHIMOTO, P., TESCARO, T. C. & ALMEIDA, F. K. 2008. A. Avaliação do índice de resto-ingesta e sobras em unidade de alimentação e nutrição (UAN) de uma empresa metalúrgica na cidade de Piracicaba. Revista Simbio-Logias 1: 99-110.

BICALHO, A. H. & LIMA, V. O. 2013. Impacto de uma intervenção para redução do desperdício em uma Unidade de Alimentação e Nutrição. Revista Nutrire 3: 269-277.

MACHADO, C. C. B., M, C. K., SOUZA, P. G. de., MARTINS, K. de. S. R. & SILVA, K. C. C. da. 2012. Avaliação do índice de resto ingesta de uma unidade de alimentação e nutrição Institucional de Anápolis-go. Revista Ensaios e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde 6: 151-162.

SILVIA, A. M. da, SILVIA, C. P. & PESSINA, E.L. 2010. Avaliação do índice de resto ingesta após campanha de conscientização dos clientes contra o desperdício de alimentos em um serviço de alimentação hospitalar. Revista Simbio-Logias 4: 43-56.

BRITO, A. M. S. de., VIEIRA. A. M., SOUZA, A. B. R., LOPES, A. S., CRAVEIRO, B. A. B., VASCONCELOS, F. B. & MAGALHÃES, M. S. 2016. Avaliação do resto-ingesta de alimentos em uma unidade de alimentação e nutrição no município de Sobral, Ceará. Revista de Nutrição e Vigilância em Saúde 2: 76-80.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/evs.v45i1.6185

Rodapé - Educativa
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


EVS | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-781X | Qualis B3

Visitantes - (01/01/2006 - 02/05/2019)
País Usuários
Brasil 35980
Estados Unidos 1.166
Portugal 628
França 244
Moçambique 151
Angola 104
Reino Unido 56
Espanha 44
Chile 37
Total 38.886

Fonte: Google Analytics.