Pitiríase Versicolor e Dermatofitoses Diagnosticadas entre os Anos de 2006 e 2007 no Laboratório de Micologia do INPA, Manaus-AM

Michael Rubem Miranda Tiago, Ana Cláudia Alves Cortez, José Augusto Almendros de Oliveira

Resumo


As micoses superficiais é o conjunto de doenças causadas por fungos, que atingem apenas a camada mais superficial da pele. As dermatofitoses são micoses superficiais cutâneas causadas por fungos do gênero Microsporum, Trichophyton e Epidermophyton. O objetivo deste estudo foi avaliar a incidência das micoses superficiais e dermatofitoses, diagnosticadas nos anos de 2006 e 2007 no Laboratório de Micologia Médica do INPA, Manaus, Amazonas. Ao todo foram incluídos 204 diagnósticos positivos de 519 exames realizados. Os dados foram agrupados em variáveis absolutas: ano, faixa etária, sexo e agente etiológico. As quantidades e frequências obtidas no estudo foram: Pitiríase versicolor 104 (51,0 %); onicomicoses 50 (24,5 %); Tinea corporis 18 (8,8 %); Tinea pedis 15 (7,4 %); Tinea capitis 12 (5,9 %); Tinea cruris 5 (2,5 %). As faixas etárias que apresentaram as maiores frequências foram a de adultos dos 20 a 49 anos (61,8 %); e acima dos 50 anos (16,4 %). O sexo feminino obteve uma frequência de (55,4 %) e o masculino de (44,6 %). Os agentes mais incidentes foram: Malassezia spp. (49,6 %); Trichophyton rubrum (29,5 %) e o Trichophyton tonsurans (5,8 %). O estudo observou que Pitiríase versicolor e as onicomicoses acometeram mais os indivíduos adultos, e que Tinea capitis atingiu principalmente as crianças.

Palavras-chave


Micoses; Pitiríases; Dermatofitoses, Incidência

Texto completo:

PDF

Referências


Lacaz, C. D. S., Port, E., Martins, J. E. C. & Heins-Vaccari, E. M. 2002. Tratado de Micologia Médica. 9o ed. Sarvier, São Paulo, 1104p.

Sidrim, J. J. C. & Diogenes, M. J. N. 1999. Misoses superficias estritas. In: Sidrim, J. J. C. & Diogenes, M. J. N. (Org.). Fundamentos Clínicos e Laboratoriais da Micologia Médica. Koogan S.A. Guanabara, Rio de Janeiro. 96–106p.

Silva, C. B. & Limberger, J. B. 2012. Atenção farmacêutica ao paciente com micose. Disciplinarum Scientia 13:1–14.

Furtado, M. S. S., Iháta, L. L. T. & Marajó, M. F.1985. Tinea capitis na cidade de Manaus – AM. Anais Brasileiros de Dermatologia 60:315-318.

Campanha, A.M., Tasca, R. S. & Svidzinski, T. I. E. 2007. Dermatomicoses: Freqüência, diagnóstico laboratorial e adesão de pacientes ao tratamento em um sistema público de saúde, Maringá-PR, Brasil. Latin American Journal of Pharmacy 26:442–448.

Furtado, M. S. S., Thára, L. T., Marajó, M. F., José, J. I. N. S. & Castrillón, A. L. 1987. Dermatofitoses na cidade de Manaus - AM. Anais Brasileiros de Dermatologia 4:195–196.

Souza, T. S. S., Paula, N. C. R. & Souto, R. C. F. 2014. Prevalência de micoses superficais diagnosticadas em um laboratório de análises clínicas em Goiânia, GO. Estudos 41:855–868.

Ferreira, F. R., Gioia, N. & Chiacchio, D. 2013. Onicomicose na infância por Microsporum spp: relato de um caso. Scientia Medica 23:184–186.

Silva, D. B., Nazaré, L., Rabello, P. B., Moraes, F. A. R., Almeida, M. D. & Neves, C. D. 1981. Incidências das micoses na Amazônia. Anais Brasileiros de Dermatologia 56:187–188.

Furtado, M. S. S., Cortêz, A. C. A. & Ferreira, J. A. 1997. Pitiríase versicolor em Manaus, Amazonas-Brasil. Anais Brasileiros de Dermatologia 72:349–351.

Moraes, M. A. P. 1973. Dermatofitos no Estado do Amazonas. Acta Amazônica 3:65–69.

Oliveira, J. A. A., Cortez, A. C. A., Barros, J. A. & Oliveira, J. S. R. L. 2006. Micoses superficiais na cidade de Manaus, AM, entre Março e Novembro/2003. Anais Brasileiros de Dermatologia 81:238–243.

Chinelli, P. A. V., Sofiatti, A. A., Nunes, R. S. & Martins, J. E. C. 2003. Dermatiphyte agents in the city of São Paulo, from 1992 to 2002. Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo 45:259–263.

Pereira, C. A., Sousa, N. M., Franco, P. I. R., Reis, A. F. & Barbosa, M. S. 2014. Análise das principais micoses encontradas na rotina de um laboratório de análises clínicas na cidade de Jataí, Estado de Goiás, Brasil. Revista Saúde e Biologia 9:108–114.

Araújo, G. M. L., Farias, R. P., Lima, M. L. F., Araújo, N. D., Cavalcanti, F. C. N. & Braz, R. A. F. S. 2010. Micoses superficiais na Paraíba : análise comparativa e revisão literária. Anais Brasileiros de Dermatologia 85:943–946.

Purim, K. S. M., Niehues, L. P., Filho, F. Q. T. & Leite, N. 2006. Aspectos epidemiológicos das micoses dos pés em um time chinês de futebol. Revista Brasileira de Medicina do Esporte 12:16–20.

Dias, T., Passos, X. S., Costa, M., Souza, L. K. H. & Silva, M. R. R. 2003. Tinea capitis em crianças de Goiânia , Brasil. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical 36:653–655.

Lana, D. F. D., Batista, B. G., Alves, S. H. & Fuentefria, A. M. 2016. Dermatofitoses: Agentes etiológicos, formas clínicas, terapêutica e novas perspectivas de tratamento. Clinical & Biomedical Research 36:230–241.

Khaled, J. M., Golah, H. A., Khalel, A. S., Alharbi, N. S. & Mothana, R. A. 2015. Dermatophyte and non dermatophyte fungi in Riyadh City , Saudi Arabia. Saudi Journal Biological Sciences 22:604–609.

Ljubojevic, S., Skerlev, M. & Lipozencic, J. 2002. The role of Malassezia furfur in dermatology. Clinical Dermatology Review 20:179–182.

Hafez, K. A., Aty, M. A. A. & Hofny, E. R. M. 2003. Prevalence of skin diseases in rural areas of Assiut Governorate, Upper Egpty. International Journal of Dermatological 42:887–892.

Oliveira, B. R. S., Figueiredo, J. V., Barros, A. E. S., Pereira, F. O. & Carmo, E. S. 2015. Diagnóstico laboratorial de pitiríase verscolor em hospital público de Cuité-PB, de Março a Agosto de 2013. Revista Saúde & Ciência 4:106–113.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/evs.v45i1.6039

 

Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


evs | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-781X | Qualis B3

Flag Counter