Evaluation of the Stress Phasei In Students of tThe Health Area

Danielle Lemes Dutra, André Abrantes Rosique, Asaphe Lemes Dutra, Sarah Da Silva Candido, Cynthia Kallás Bachur

Resumo


Stress is a general wear and tear of the body, being responsible for changes in the state of health and well-being of the individual. The present study had as objective apply an Inventory of Stress Symptoms among both medical and physiotherapy students, compare and identify the stage of stress they encounter. This is a descriptive and cross-sectional study. The sample consisted of students of the 4th year of both Medicine and Physiotherapy courses from Universidade de Franca- São Paulo, volunteers, regardless of sex or ethnicity. An inventory of Stress Symptoms I.S.S. Lipp to characterize the stress phase of students. A total of 70 students participated in the study, 25 of which were physiotherapists, 22 male and 48 female, 21.92 ± 1.57 years old, and 45 medical students, with a mean age of 24, 87 + 4.26 years. In both courses, the sample analyzed showed a predominance in the Resistance phase, corresponding to a score of 4.26 in relation to medical students and 1.57 in physiotherapy. Based on the data from the present study, it was possible to identify that the students of the health area are in a predominantly Exhaustion phase, according to the Lipp inventory.

Avaliação da Fase de Estresse em Estudantes da Área da Saúde

O estresse é causado pelas alterações psicofisiológicas que ocorrem quando o indivíduo é forçado a enfrentar situações que o irritem. O presente estudo teve como objetivo aplicar um Inventário de Sintomas de estresse entre estudantes de medicina e fisioterapia, comparar e identificar a fase de estresse que eles se encontram. Trata-se de um estudo de caráter descritivo e transversal. A amostra foi composta por estudantes do 4º ano do curso de Medicina e de Fisioterapia da Universidade de Franca- São Paulo, voluntários,sem distinção de sexo ou etnia. Foi aplicado um Inventário de Sintomas de estresse I.S.S. Lipp para caracterizar a fase do estresse dos estudantes. Participaram deste estudo70 estudantes, 25 do curso de Fisioterapia, com idade 21,92 + 1,57 anos e 45 estudantes do curso de medicina, com idade média de 24,87 + 4,26 anos. A amostra analisada apresenta, em ambos os cursos, uma predominância na fase de Resistência, correspondendo um escore de 4,26 em relação aos estudantes de Medicina e 1,57 aos de Fisioterapia. Com base nos resultados dos dados do presente estudo, foi possível identificar que os estudantes da área de saúde encontram-se em uma fase predominantemente de Exaustão segundo o inventário de Lipp.

Palavras-chave


Estresse psicológico, Estudantes, Questionários

Texto completo:

PDF

Referências


LIPP M. E. N., TANGANELLI M. S. 2002. Stress e qualidade de vida em Magistrados da Justiça do Trabalho: diferenças entre homens e mulheres. Psicologia Reflexão e Critica 15(3) : 537-48.

Gomes V. F, Bosa C. 2004. Estresse e relações familiares na perspectiva de irmãos de indivíduos com transtornos globais do desenvolvimento. Estudos de Psicologia 9(3) : 553-61.

Lipp M. E. N. 2008. Estresse emocional e contribuição de estressores internos e externos. Revista Psiquiatria Clínica 28(6) : 347-349.

Pafaro R. C, Martino M. D. 2004. Estudo do estresse do enfermeiro com dupla jornada de trabalho em um hospital de oncologia pediátrica de Campinas. Revista da Escola de Enfermagem da USP 38(2) : 152-60.

Santos A. F., Alves Júnior A. 2007. Estresse e estratégias de enfrentamento em mestrandos de ciências da saúde. Psicologia: Reflexão e crítica 20(1) : 104-113.

Rossetti M. O et al. 2008. O inventário de sintomas de stress para adultos de Lipp (ISSL) em servidores da polícia federal de São Paulo. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas 4(2) : 108-120.

Lipp, M.E.N. & Guevara, A. J. H. 1994. Validação empírica do Inventário de Sintomas de Stress. Estudos de Psicologia 11(3) : 43-49.

Souza F. G. D. M., Menezes M. D. G. C. 2005. Estresse nos estudantes de medicina da Universidade Federal do Ceará. Revista brasileira de educação médica 29(2) : 91-96.

Aguiar S. M., Vieira A. P. G. F., Vieira K. M. F., Aguiar S. M., Nóbrega N. O. 2008. Prevalência de sintomas de estresse nos estudantes de medicina. Jornal Brasileiro de Psiquiatria 58(1) : 34-8.

Fonseca F. D. C. A., Coelho R. Z., Nicolato R., Malloy-Diniz L. F., Silva Filho H. C. D. 2009. A influência de fatores emocionais sobre a hipertensão arterial. Jornal Brasileiro de Psiquiatria 58(2) : 128-134.

Lima J. E., Lima N. E. 2010. Hipertensão arterial: aspectos comportamentais–estresse e migração. Revista Brasileira Hipertensão 17: 210-25.

W. H. O. Physical status: use and interpretation of anthropometry. Report of a WHO Expert Committee.W.H.O. Technical report series,854. Geneva, 1995.

Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. III Diretrizes brasileiras de obesidade, 2010. Acesso em 05/12/2016; Disponivel em: http://www.abeso.org.br/pdf/diretrizes_brasileiras_obesidade_2009_2010_1.pdf

VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arquivos Brasileiros de Cardiologia 2010. Acesso em 05/12/2016; Disponivel em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2010001700001




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/evs.v45i1.5505

 

Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


evs | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-781X | Qualis B3

Flag Counter