Teoria Crítica e Trabalho: método no estudo comparativo Brasil e Portugal da formação de profissionais da saúde

Antônio da Silva Menezes Junior, Iria Brzezinski

Resumo


Neste artigo explicita-se o método materialista histórico dialético.
Objetiva-se realizar uma reflexão sobre o método e seus desdobramentos
que orientaram uma investigação voltada para formação de profissionais
da saúde, com ênfase na política de educação superior subjacente a
dois estudos de casos: Curso de Medicina no Brasil e Curso de Medicina em Portugal. Da tessitura do referencial teórico acerca da teoria histórico-crítica e da categoria trabalho, assim como do estudo de casos emergiram as categorias: comunicação, emancipação, política e poder, dinâmica e gestão curriculares, práxis, trabalho e compromisso social. A tematização a respeito do método e a imersão na realidade da formação na área médica nos dois países revela a solidez das categorias analisadas, principalmente quanto aos afastamentos ou aproximações concernentes à: a) formação determinada pelas Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Medicina (Brasil) e pela adesão ao Processo de Bolonha (agenda neoliberal), em Portugal; b) inserção precoce ou não no mercado de trabalho do egresso do curso de Medicina de ambas instituições.

Palavras Chave: Política Educacional; Método; Estudo Comparado; Formação Médica; Diretrizes Curriculares.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/educ.v17i2.3959

Direitos autorais 2015 Educativa

 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


EDUCATIVA | Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE | Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-7771 | Qualis B1

Flag Counter