RELIGIÃO, CULTURA E SISTEMA SIMBÓLICO

Thais Alves Marinho, Clóvis Ecco

Resumo


Em comemoração aos 20 anos de existência do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Goiás, este artigo propõe perspectivar um caminho epistemológico e metodológico, a partir da produção dos docentes e discentes vinculados à linha de pesquisa Cultura e Sistema Simbólico, para lidar com a religião enquanto sistema simbólico. Defendemos análises tanto sincrônicas, quanto diacrônicas, que possibilitem perspectivar ao mesmo tempo as psicogêneses e as sociogêneses, com o intuito de desconstruir os essencialismos, amparados em regimes de verdades e representações, que silenciam a alteridade e as desigualdades de gênero. Tal reflexão epistemológica crítica às concepções dominantes de modernidade, sincretismo religioso e gênero são necessárias para lançarmos luz sobre as mesclas, encontros e choques religiosos contemporâneos.

Palavras-chave


Religião; Sistema simbólico; Sincretismo; Gênero; Regime de representações

Texto completo:

PDF

Referências


ARAGÃO FILHO, Iran Lima. Religião e gênero: o imaginário sobre o lugar da mulher na igreja neopentecostal. 2011. 87 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2011.

ARAÚJO, Maria Emília Carvalho de. Tecendo os fios da trama coletiva: possessão e exorcismo rituais na Igreja Universal. 2001. 213 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2001.

BASTIDE, Roger. As religiões africanas no Brasil. São Paulo: Pioneira, 1971.

BASTIDE, Roger. Contribuição ao estudo do sincretismo católico/fetichista: estudos afro-brasileiros. São Paulo: Perspectiva. 1973.

BAUMANN, Gerd. L’enigmamulticulturale: stati, etnie, religioni. Bo¬logna: Il Mulino, 2003.

BHABHA, Homi. Cultural difference and cultural diversity. In: ASHCROFT, Bill; GRIFFITHS, Gareth; TIFFIN, Helen (ed.). The postcolonial studies reader. New York: Routledge, 1995. p. 155–157.

BIRMAN, Patrícia. O campo da nostalgia e a recusa da saudade: temas e dilemas dos estudos afro-brasileiros. Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, v. 18, n. 2, p. 75-92, 1997.

BONETTI, Maria Cristina de Freitas. O sagrado feminino e a serpente: performance mítica na simbologia das danças circulares sagradas. 2013. 381 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Religião) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2013.

BOURDIEU, Pierre. Outline of a theory of practice. Tradução: Richard Nice. Cambridge: Cambridge University Press, 1978.

BROSSES, Charles de. Du Culte des dieux fétiches, ou Parallèle de l'ancienne religion de l'Egypte avec la religion actuelle de Nigritie. Genève: [s.n.], 1760.

BUTLER, Judith. Gender trouble: feminism and the subversion of identity. New York: Routledge, 1997.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago. Ciências sociais, violência epistêmica e o problema da 'invenção do outro'. In: LANDER, Edgardo (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais, perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: Clacso, 2005. p. 87-95.

COMTE, August. Système de politique positive ou traité de sociologie instituant la religion de l'humanité. 3ème ed. Paris: Larousse, 1890. 4 v.

COSTA SOBRINHO, José Batista da. The existence of the relationships of gender in the Conselho Nacional de Leigos e Leigas - CNL. 2001. 158 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2001.

COSTA, Hulda Silva Cedro da. Umbanda, a syncretic and Brazilian religion. 2013. 177 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2013.

COSTA, Oli Santos da. Pombagira: a resignification of the mythical goddess Lilith. 2015. 126 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2015.

DESCARRIES, Francine. Teorias feministas: liberação e solidariedade no plural. Revista Textos de História. Feminismos: teoria e perspectivas, Brasília, v.8, n.1/2, p. 09-46, 2000.

DELUMEAU, Jean. Os agentes de satã: a mulher. In: DELUMEAU, Jean. História do medo no ocidente 1300-1800: uma cidade sitiada. São Paulo: Companhia das Letras, 1993. p. 310-349.

DURKHEIM, Émile. Les formes elementaires de la vie religieuse. Paris: Presses Universitaires de France, 1968.

DUSSEL, Enrique. Europa, modernidad y eurocentrismo. In: LANDER, Edgardo (Coord.). La colonialidad del saber: eurocentrismo y ciencias sociales, perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: Clacso, 2000. p.41-54.

ECCO, Clóvis. A função da religião na construção social da masculinidade. Revista da Abordagem Gestáltica, Goiânia, v. 14, p. 93-97, 2008.

ECCO, Clóvis. Identity of gender: religious ideas on the masculine as angle of analysis. 2007. 155 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2007.

ECCO, Clóvis. Religion and seropositive for HIV/AIDS: bias about illness and sexuality. 2013. 167 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2013.

ECCO, Clóvis; MARINHO, Thais Alves; ARAÚJO, Claudete Ribeiro de. Religião e Gênero: uma investigação do estado da arte dos Estudos de Gênero nos Programas de Pós-Graduação em Ciências da Religião no Brasil. MANDRÁGORA, São Paulo, v. 24, p. 5-37, 2018.

ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano. Tradução: Rogério Fernandes. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

FOUACAULT, Michel. The history of sexuality. Tradução de Robert Hurley. New York: Vintage, 1980. v. I.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. Aula inaugural no College de France. Pronunciada em 2 de dezembro de 1970. Tradução de Laura Fraga de Almeida Sampaio. São Paulo: Loyola, 2012.

FREUD, Sigmund. O futuro de uma ilusão. In: FREUD, Sigmund. Os pensadores. Tradução de José Octávio de Aguiar Abreu. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

FREYRE, Gilberto. Casa-grande & senzala. 42. ed. Rio de Janeiro: Record, 2001.

GARCIA, Célio de Pádua. In the land of syncretism: appropriations and african- Brazilian reinterpretation in the Universal Church of the Kingdom of God. 2015. 191 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2015.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Guanabara, 1989.

GIFFIN, Karen. A inserção dos homens nos estudos de gênero: contribuições de um sujeito histórico. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 10, n. 1, p. 47-57, mar. 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232005000100011&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 09 out. 2019.

GROSFOGUEL, Ramón. Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, n. 80, p. 115-147, 2008.

HALL, Stuart. The West and the rest: discourse and power. In: HALL, Stuart et al. (Org.). Modernity: introduction to the modern societies. Oxford: Blackwell, 1996. p. 185-227.

HUSSERL, Edmund. Filosofia como ciência de rigor. Coimbra: Atlântida, 1965.

IBGE. Censo de 2010. Disponível em: https://censo2010.ibge.gov.br/ . Acesso em: 22 dez. 2019.

ISAIA, Artur Cesar. Brasil: três projetos de identidade religiosa. In: RODRIGUES, Cristina Carneiro; LUCA, Tania Regina de; GUIMARÃES, Valéria (Org.). Identidades brasileiras: composições e recomposições. São Paulo: UNESP, 2014. p. 175-202.

JODELET, Denise. O movimento de retorno ao sujeito e a abordagem das representações sociais. Sociedade e Estado, Brasília, v. 24, n. 3, p. 679-712, dez. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922009000300004&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 16 set. 2019.

JUNG, Carl Gustav. Psicologia e religião. Petrópolis: Vozes, 1971.

KIMMEL, Michael S. A produção simultânea de masculinidades hegemônicas e subalternas. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v. 4, n. 9, p. 103-117, out. 1998. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71831998000200103&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 17 jan. 2020.

VAN DER LEEUW, Gerardus. A religião em sua essência e suas manifestações: Fenomenologia da religião, 1933, Epílogo. Revista da Abordagem Gestáltica, Goiânia, v. 15, n. 2, p. 179-183, dez. 2009. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/ scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-68672009000200014&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 16 dez. 2019.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Totemismo hoje. São Paulo: Abril Cultural, 1980.

MALDONADO-TORRES, Nelson. Sobre la colonialidad del ser: contribuciones al desarrollo de un concepto. In: CASTRO-GÓMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramon (Coord.). El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistêmica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores; Universidad Central, Instituto de Estudios Sociales Contemporáneos, Pontificia Universidad Javeriana, Instituto Pensar, 2007. p. 127-168.

MALINOWSKI, Bronislaw. Magia, ciencia y religión. Barcelona: Planeta-De Agostini, 1994.

MARINHO, Thais Alves. As relações étnico-raciais, os estudos afro-brasileiros e a história. Revista Mosaico, Goiânia, v. 12, p. 251-254, 2019b.

MARINHO, Thais Alves. Os caminhos da Identidade em um mundo multicultural. Revista Fórum Identidades, Aracajú, v. 5, p. 81-107, 2009.

MARINHO, Thais Alves. Umbanda: aquém e além de Ortiz. Revista Caminhos, Goiânia, v. 17, n. 3, p. 156-171, jul./dez. 2019a.

MARX, Karl. Crítica da filosofia do direito de Hegel. Tradução de Rubens Enderle e Leonardo de Deus. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2010.

MIGNOLO, Walter. Historias locales/disenos globales: colonialidad, conocimientos subalternos y pensamiento fronterizo. Madrid: Akal, 2003.

NAKANO, Vinícius Wagner de Sousa Maia. Constitucionalismo brasileiro e multiculturalismo a afirmação das diferenças religiosas. 2017. 334 f. Tese (Doutorado em Ciências da Religião) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2017.

OLIVEIRA, Irene Dias de. Religião e as teias do multiculturalismo. São Paulo: Fonte Editorial, 2015.

OLIVEIRA, Roberto Francisco de. Hybridization bantu: cultural route adopted by a pople. 2015. 182 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2015.

ORTEGA PERALÍAS, Isabel. Participação e autonomia das mulheres nas Comunidades Eclesiais de Base (CEBs). 2005. 146 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2005.

ORTIZ, Renato. A morte branca do feiticeiro negro: umbanda e sociedade brasileira. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1991.

ORTNER, Sherry B. Teoria na antropologia desde os anos 60. Mana, Rio de Janeiro, v. 17, n. 2, p. 419-466, ago. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?scri pt=sci_arttext&pid=S0104-93132011000200007&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 27 jan. 2020.

OTTO, Rudolf. O sagrado: aspectos irracionais na noção do divino e sua relação com o racional. Tradução de Walter O. Schlupp. São Leopoldo: Sinodal; Petrópolis: Vozes, 2007.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad del poder y clasificación social. Journal of World-Systems Research, Pittsburg, v. 11, n. 2, p. 342-386, 2000.

RAMOS, Arthur. A aculturação negra no Brasil. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1942.

RANDERIA, Shalini. Jenseits von soziologie und soziokultureller anthropologie: zur ortbestimmung der nichtwestlichen welt in einer zukünftigen sozialtheorie. In: BECK, Ulrich; KIESERLING, André (Org.). Ortsbestimmung der soziologie: wie die kommenden generation gesellschaftswissenschaften betreiben will. Baden-Baden: Nomos, 2000. p. 41-50.

RODRIGUES, Nina. O animismo fetichista dos negros bahianos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1935.

SAHLINS, Marshall. “O pessimismo sentimental” e a experiência etnográfica: porque a cultura não é um 'objeto' em via de extinção (parte II). Mana, Rio de Janeiro, v. 93, n. 2, p. 41-73, 1997.

SAID, Edward. Orientalism. New York: Vintage, 1978.

SCOTT, Joan W. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 71-99, jul./dez. 1995.

SHEEDY, Matt (Org.). Ateísmo metodológico vs. agnosticismo metodológico. Tradução de Fábio L. Stern. Revista Último Andar, São Paulo, n. 29, p. 295-303, 2016.

SILVA, Sergio Gomes da. A crise da masculinidade: uma crítica à identidade de gênero e à literatura masculinista. Psicol. cienc. prof., Brasília , v. 26, n. 1, p. 118-131, 2006 . Available from . access on 17 Feb. 2020. https://doi.org/10.1590/S1414-98932006000100011.

SIMONI, Rosinalda Correa da Silva. A congada da Vila João Vaz em Goiânia (GO): memória e tradição. 2017. 287 f. Tese (Doutorado em Ciências da Religião) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2017.

SIQUEIRA, Grazielly Maria de Oliveira. A relação entre religião e violência contra as mulheres. 2019. 87 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Religião) - Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2019.

SPIVAK, Gayatri. "Can the Subaltern Speak?" In: NELSON, Cary; GROSSBERG, Larry (Ed.). Marxism and the Interpretation of Culture. Urbana: University of Illinois Press, 1988. p. 271-313

TURNER, Victor. O processo ritual: estrutura e anti-estrutura. Petrópolis: Vozes, 1974.

TYLOR, Edward Burnet. Religion in primitive culture. Gloucester: Peter Smith, 1970.

VAN DER LEEUW, Gerardus. La religion dans son essence et ses manifestations: phénoménologie de la religion. Paris: Payot, 1948.

WACHTEL, Nathan. Los vencidos; los indios frente a la conquista española (1530-1570). Madrid: Alianza Editorial, 1976.

WEBER, Max. Economia e sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. Tradução de Regis Barbosa e Karen Elsabe Barbosa. Brasília: Ed. da UnB, 1999.

YOUNG, Robert. Colonial desire: hybridity in theory, culture, and race. London: Routledge, 1995.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/cam.v18i4.7998

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Thais Alves Marinho, Clóvis Ecco

Rodapé - Caminhos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


CAMINHOS | Revista do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-778X | Qualis CAPES Preliminar 2019 = A3

Visitantes - (09/03/2016 - 10/03/2020)

Fonte: Google Analytics.