MULHERES DA ASSEMBLEIA DE DEUS: MODELOS IDEAIS?

Ana Luíza Gouvêa Neto

Resumo


O presente artigo tem como objetivo traçar reflexões acerca da autorrepresentação feminina e os discursos normatizadores difundidos pela igreja Assembleia de Deus. Para tanto, serão trabalhadas duas entrevistas realizadas com mulheres assembleianas, frequentadoras da Assembleia de Deus – Missões, igreja situada na cidade de Juiz de Fora – Minas Gerais. O propósito é pensar a partir de conceitos fundamentais tanto em Pierre Bourdieu, quanto em Judith Butler, na expectativa de desvelar as continuidades e descontinuidades entre o discurso regulador oficial e a construção das identidades femininas – suas agências, concepções.

WOMEN IN THE ASSEMBLY OF GOD: IDEAL MODELS?

This paper aims to investigate the self- representation of women and normative discourses disseminated by the church named Assembly of God. Therefore two interviews conducted with women attending the Assembly of God - Missions, a church located in the city of Juiz de Fora - Minas Gerais, will be analyzed. The purpose is to reflect on Pierre Bourdieu and Judith Butler’s key concepts in order to reveal the continuities and discontinuities underlying the official regulatory discourse and the construction of female identities - their agencies and conceptions.

Palavras-chave


Assembleia de Deus. Gênero. Mulher. Assembly of God. Gender. Woman.

Texto completo:

PDF

Referências


BOURDIEU, Pierre. A Dominação Masculina. Tradução de Maria Helena Kühner. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011.

BOURDIEU, Pierre. As regras da arte: gênese e estrutura do campo literário. São Paulo: Companhia das Letras, [19-].

BUTLER, Judith. Corpos em aliança e política das ruas: notas para uma teoria performativa de assembleia. Tradução de Fernanda Siqueira Miguens. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018.

BUTLER, Judith. Cuerpos que importan: sobre lós limites materiales y discursivos del “sexo”. Buenos Aires: Paidós, 2002.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Tradução de Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

BUTLER, Judith. Regulaciones de gênero. LA VENTANA, Guadalajara, n. 23, 2005.

FRESTON, Paul. Protestantes e política no Brasil: da constituinte ao impeachment. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1993.

GOUVÊA NETO, Ana Luíza. Na capa e por dentro: uma análise sócio-histórica sobre a mulher evangélica em publicações assembleianas. São Paulo: Pontocom, 2018.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/estadosat/index.php. Acesso em: 11 ago. 2016.

LIÇÕES BÍBLICAS. Valores Cristãos: enfrentando as questões morais de nosso tempo. Rio de Janeiro: CPAD, abr./jun., 2018.

MAPAS. Google. Disponível em: https://www.google.com.br/maps/@-21.7485722,-43.3577279,3a,75y,180h,90t/data=!3m6!1e1!3m4!1sOI0zCPtJdrLwQ51F_JR42g!2e0!7i13312!8i6656. Acesso em: 07 ago. 2018.

MARIANO, Ricardo. Neopentecostais: sociologia do novo pentecostalismo no Brasil. São Paulo: Loyola, 2012.

MARIANO, Ricardo. Os neopentecostais e a Teologia da Prosperidade. Novos Estudos, São Paulo, n. 44, p. 24-44, 1996.

MULHER, LAR & FAMÍLIA CRISTÃ. Rio de Janeiro: CPAD, ano. 4, n. 14, 2003.

PEREIRA, Elaine Aparecida Teixeira. O conceito de campo de Pierre Bourdieu: possibilidade de análise para pesquisas em história da educação brasileira. Revista Linhas, Florianópolis, v. 16, n. 32, p. 337-356, 2015.

PIERUCCI, Antônio Flávio. Representantes de Deus em Brasília: a Bancada Evangélica na Constituinte. Ciências Sociais Hoje, 1989. São Paulo: Vértice, Editora Revista dos Tribunais, ANPOCS, 1989. p. 104-132.

PORTELLA, Rodrigo. Pentecostalismo clássico e valores de autonomia: sobre o poder simbólico das representações pentecostais. Revista Eletrônica Espaço Teológico, São Paulo, v. 6, n. 10, p. 3-15, 2012.

ROCHA, Daniel. Venha nós ao vosso reino: rupturas e permanências nas relações entre escatologia e política no pentecostalismo brasileiro. Dissertação (Mestrado em Ciências da Religião) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/cam.v17i1.6998

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Ana Luíza Gouvêa Neto

Rodapé - Caminhos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


CAMINHOS | Revista do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-778X | Qualis B1

Visitantes - (01/01/2006 - 01/08/2019)
País Usuários
Brasil 64.176
Estados Unidos 1.602
Portugal 378
França 328
Coréia do Sul 196
México 154
Angola 118
Argentina 117
Moçambique 115
Total 70.014

Fonte: Google Analytics.