INCORPORAÇÃO: QUANDO O CORPO É O TEMPLO

Gisele Cristina Laranjeira, Ana Maria Galrão Rios

Resumo


O fenômeno da incorporação é um evento recorrente em diversas religiões, e consagrado nas religiões espíritas como uma forma legítima de conexão entre o mundo material e o plano espiritual. Este artigo busca discutir o papel simbólico do corpo do médium incorporante nesse processo, que transporta o divino (e também seu oposto) para a materialidade da dimensão humana.

INCORPORATION: WHEN THE BODY IS THE TEMPLE

The incorporation phenomenon is a recurrent event at various religions, and it is consecrated in spiritualist religions as a legitim connection between material world and spiritual world. This article intends to discuss the symbolic role of the medium of incorporation’s body in this process, which takes the divine (and its opposite) to a material and human dimension.

Palavras-chave


Incorporação. Transe. Corpo. Símbolo. Psicologia. Incorporation. Trance. Body; Symbol. Psychology.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Angélica A. Silva de; DALGALARRONDO, Paulo; ODA, Ana Maria G. R. O olhar dos psiquiatras brasileiros sobre os fenômenos de transe e possessão. Rev. psiquiatr. clín., São Paulo, v. 34 suppl. 1, p. 34-41, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832007000700006&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 16 out. 2018.

ALMEIDA, Alexander Moreira de. Fenomenologia das Experiências Mediúnicas, Perfil e Psicopatologia de Médiuns Espíritas. Tese (Doutorado em Psiquiatria) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-12042005-160501/pt-br.php. Acesso em: 16 out. 2018.

ALMEIDA, Alexander Moreira de; LOTUFO NETO, Francisco. A mediunidade vista por alguns pioneiros da área mental. Rev. psiquiatr. clín., São Paulo, v. 31, n. 3, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832004000300003&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 16 out. 2018.

ALVES JÚNIOR, Antonio Marques. Tambores para a rainha da floresta: a inserção da Umbanda no Santo Daime. Dissertação (Mestrado em Ciências da Religião) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2007. Disponível em: https://sapientia.pucsp.br/bitstream/handle/2045/1/Antonio%20Marques%20Alves%20Junior.pdf. Acesso em: 16 out. 2018.

ANTONACCI, Maria Antonieta Martines. Memórias ancoradas em corpos negros. São Paulo: EDUC, 2013.

BENEDITO, Julio Cezar. Religiões e religiosidades populares: o conflito religioso e a simbiose de ritos e performances entre neopentecostais e afro-brasileiros. Universitas Humanística, n. 6, p. 231-253, 2005. Disponível em: http://www.scielo.org.co/pdf/unih/n61/n61a11.pdf. Acesso em: 16 out. 2018.

BRETON, David Le. Antropologia do corpo e modernidade. 3. ed. Tradução: Fábio dos Santos Creder Lopes. Petrópolis: Vozes, 2013.

CAMPBELL, Joseph; MOYERS, Bill. Os Primeiros Contadores de Histórias. In: CAMPBELL, Joseph; MOYERS, Bill. O poder do mito. Organização de Betty Sue Flowers. Tradução: Carlos Felipe Moisés. São Paulo: Palas Athena, 1990. p. 82-103.

CUMINO, Alexandre. Médium: incorporação não é possessão. São Paulo: Madras, 2016.

JUNG, Carl Gustav. Psicologia e religião. Tradução: Pe. Dom Mateus Ramalho Rocha. 11. ed. Petrópolis: Vozes, 2012.

JUNG, Carl Gustav. A Natureza da Psique. Tradução: Mateus Ramalho Rocha. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

JUNG, Carl Gustav. Os arquétipos e o inconsciente coletivo. Tradução: Maria Luiza Appy; Dora Mariana R Ferreira da Silva. 11. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

MARIANO, Ricado. Neo Pentecostais: Sociologia do Novo Pentecostalismo no Brasil. 5. ed. São Paulo: Loyola, 2014.

MIRANDA, Evaristo Eduardo de. Corpo: Território do Sagrado. 2. ed. São Paulo: Loyola, 2000.

PUTTINI, Rodolfo Franco. Curandeirismo e o campo da saúde no Brasil. Interface, Botucatu, v. 12, n. 24, p. 87-106, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-32832008000100008&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 16 out. 2018.

SCHMIDT, Bettina. Spirits and Trance in Brazil: anthropology of religious experiences. London: Bloomsbury, 2016.

ZACHARIAS, José Jorge de Morais. Ori Axé, a dimensão arquetípica dos orixás. São Paulo: Vetor, 1998.

WILKINSON, Philip. Mitos e Lendas. Tradução: Angela Maria Moreira Dias; Jefferson Luiz Camargo; Simone Campos. São Paulo: Martins Fontes, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/cam.v17i1.6807

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Gisele Cristina Laranjeira

Rodapé - Caminhos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


CAMINHOS | Revista do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-778X | Qualis B1

Visitantes - (01/01/2006 - 18/06/2019)
País Usuários
Brasil 60.977
Estados Unidos 1.573
Portugal 367
França 324
Coréia do Sul 178
México 148
Angola 111
Moçambique 109
Argentina 101
Total 66.251

Fonte: Google Analytics.