CATEQUISTAS, ARTISTAS OU SOCIALMENTE ENGAJADOS: AS FORMAS DE INSERÇÃO POLÍTICA DO CATOLICISMO CARISMÁTICO

Carlos Eduardo Pinto Procópio

Resumo


Este artigo analisa as formas de recrutamento e engajamento na Renovação Carismática Católica. Para tanto, olha para três linhas de atuação onde políticos em potencial são selecionados: catequético-conversionista, artístico-midiático e socialmente-engajado. Cada uma dessas linhas marca a maneira como os carismáticos católicos fazem política. Essas formas ajudam a entender alguns aspectos do ativismo católico hoje.

Palavras-chave


Catolicismo carismático; Ativismo católico; Política

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Péricles. Acorda Canção Nova: conservadores católicos e eleições presidenciais em 2010. In: VII Congresso Internacional em Ciências da Religião PUC Goiás, Goiânia, 2014.

BRAGA, Antônio. TV Católica Canção Nova: Providência e Compromisso X Mercado e Consumismo. Religião & Sociedade, v. 24, n.1, 200, p. 113-123.

CAMURÇA, Marcelo Ayres. Tradicionalismo Católico e meios de comunicação de massa: catolicismo midiático. In: CARRANZA, Brenda; MARIZ, Cecília; CAMURÇA, Marcelo. Novas Comunidades Católicas. Aparecida: Ideias e Letras, 2009.

CARRANZA, Brenda. Catolicismo midiático. Aparecida: Ideias e Letras, 2011.

CARRANZA, Brenda. Renovação carismática católica: origens, mudança e tendências. Aparecida: Santuário, 2000.

CARRANZA, Brenda. Modus Operandi Político de evangélicos e católicos: consolidações e inflexões. Debates do NER, v. 2, n. 32, 2017, p. 87-116.

MACHADO, Maria das Dores Campos. Religião e Política no Brasil Contemporâneo: uma análise dos pentecostais e carismáticos católicos. Religião & Sociedade, Rio de Janeiro, 2015, p.45-72.

MANDUCA, Vinicius. Atores políticos do pentecostalismo católico e evangélico paulista. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Universidade Federal de São Carlos, 2015.

MIRANDA, Julia. Carisma, sociedade e política. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1999.

MIRANDA, Julia. Católicos carismáticos e as eleições municipais de 2012. Ciências Sociais Unisinos, v. 51, n. 2, 2015, p. 201-211.

PORTELLA, Rodrigo. Renovação Carismática Católica: relações, interferências e tensões. Atualidade Teológica, ano 15, n. 39, 2011, 644-657.

PRANDI, Reginaldo. Um sopro do espírito. São Paulo: EdUSP, 1997.

PROCÓPIO, Carlos Eduardo Pinto. Carismatismo Católico e Eleições no Brasil. Ciencias Sociales y Religión, v. 14, 2012, p. 79-99.

PROCÓPIO, Carlos Eduardo Pinto. Perto da Religião, Perto da Política: a participação do catolicismo carismático através da Instituição, Candidaturas e Mídia nas eleições de 2010. 2014. Tese (Doutorado em Ciências Sociais), PPGCSO/UFJF, Juiz de Fora, 2014a.

PROCÓPIO, Carlos Eduardo Pinto. A produção ritual da candidatura política. Cadernos de Campo (USP. 1991), v. 23, 2014b, p. 91-101.

PROCÓPIO, Carlos Eduardo Pinto. Quando a religião se aproxima da política. Um estudo dos candidatos e candidaturas apoiadas pelo catolicismo carismático nas Eleições 2014. Debates do NER (UFRGS), Ano 16, n. 27, 2015, p 199-232.

PROCÓPIO, Carlos Eduardo Pinto. Como funciona o Ministério Fé e Política da Renovação Carismática Católica. CSONLINE - REVISTA ELETRÔNICA DE CIÊNCIAS SOCIAIS, v. 23, 2017, p. 1-14.

RIBEIRO DE OLIVEIRA, Pedro. A RC como agremiação religiosa. In: RIBEIRO DE OLIVEIRA, Pedro; et. alli. (org.) Renovação Carismática Católica: uma análise sociológica, interpretações teológicas. Petrópolis: Vozes, 1978.

SILVEIRA, Emerson José Sena da. ‘Terços’, ‘santinhos’ e versículos: a atual relação entre os carismáticos e a política”, REVER, 2008, p. 54-74.

SILVEIRA, Emerson José Sena da. Catolicismo, mídia e consumo: experiências e reflexões. São Paulo: Fonte Editorial, 2014.

SOUZA, André Ricardo de; REIS, Marcos Vinícius Freitas. O envolvimento dos católicos carismáticos na arena política brasileira. In: Marcos Vinícius Freitas Reis. (Org.). Expressões religiosas de um Brasil plural: estudos contemporâneos. São Paulo: Fonte Editorial, 2017

SOUZA, André. Igreja in concert. São Paulo: Annablume, 2005.

THEIJE, Marjo de. Tudo que é de Deus é bom. Recife: Massangana, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.18224/cam.v16i1.6361

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Carlos Eduardo Pinto Procópio

 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


CAMINHOS | Revista do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-778X | Qualis B1

Visitantes - (01/01/2006 - 15/10/2018)

País Usuários
Brasil 36.086 - 93,62%
Estados Unidos 679 - 1,76%
França 263 - 0,68%
Portugal 157 - 0,41%
Coréia do Sul 118 - 0,31%
Reino Unido 102 - 0,26%
Alemanha 83 - 0,22%
México 76 - 0,20%
Moçambique 65 - 0,17%
Total 38.922

Fonte: Google Analytics.