Quem Eram Realmente as Vacas de Basã? um exercício de interpretação à base da crítica textual

Carlos A. Dreher

Resumo


Resumo: o artigo retoma a interpretação do texto de Amós 4.1-3 a partir de um exercício de crítica textual. Apercebe-se de incongruências gramaticais no emprego de sufixos masculinos onde seriam de esperar femininos, bem como uma forma verbal que apresenta a mesma inversão. Ao auscultar o aparato crítico da Biblia Hebraica Stuttgartensia, verifica que não há testemunhas textuais – manuscritos ou versões – para qualquer alteração do texto hebraico. Assume que Amós pretendeu – deliberadamente – alterar tais formas femininas para o masculino. Conclui que Amós pretende, de fato, desqualificar os cortesãos de Samaria, utilizando uma linguagem tipicamente popular, com certeza nem um pouco politicamente correta a nossos olhos na atualidade, contudo, uma linguagem que demonstra mais uma vez a sua santa ira contra aqueles que oprimem os pobres de Deus.
Palavras-chave: Amós. Texto bíblico. Crítica textual. Vacas de Basã. Defesa dos pobres.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/cam.v14i1.4819

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Carlos A. Dreher

Rodapé - Caminhos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


CAMINHOS | Revista do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-778X | Qualis CAPES Preliminar 2019 = A3

Visitantes - (09/03/2016 - 10/03/2020)

Fonte: Google Analytics.