O MESSIAS DERROTADO COMO CHAVE DE LEITURA DO MESSIANISMO DOS POBRES: O CASO GALILIA

Luiz Alexandre Rossi

Resumo


Resumo: pensamos a partir da lógica dos vencedores e da vitória. Nessa lógica, Deus e o seu Messias se encontram ao lado daqueles que são vitoriosos em meio a uma multidão de derrotados. O conceito de Messias passa a ser representado a partir da lógica daquele que detém o domínio socioeconômico-político. Nessa representação Deus sempre é exteriorizado como representante do rico e do dominador. Agora, tanto o céu quanto a terra passam para o controle dos ricos. Suas portas são severamente vigiadas e não é possível a entrada de qualquer um. A vítima deixa de ter direitos no céu como na terra. A diminuição de seus direitos na terra é o mais justo reflexo da realidade celestial. Consequentemente, Deus e o seu Messias não estão mais ao lado dos pobres e excluídos. A lógica perversa nos impede de ver com clareza que a sorte dos mais fracos e pobres da sociedade é justamente a medida do êxito de qualquer sociedade. A releitura do messianismo de Jesus, proposta neste artigo, encontra a sua mais franca expressão na opção pela classe oprimida que nasce da fé num messias que não vence, mas nem por isso deixa de ser solidário.
Palavras-chave: Messianismo. Pobre. Galiléia. Solidariedade. Vitória.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/cam.v13i2.4293

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Luiz Alexandre Rossi

Rodapé - Caminhos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


CAMINHOS | Revista do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-778X | Qualis CAPES Preliminar 2019 = A3

Visitantes - (09/03/2016 - 10/03/2020)

Fonte: Google Analytics.