Comunidades de Resistência e Libertação: a Influência da Teologia (feminista) da Libertação no Movimento de Mulheres Camponesas

Sandra Lassak

Resumo


Resumo: este artigo é resultado de uma tese doutoral em Teologia sobre a influência da Teologia da Libertação, também a feminista, para a constituição do Movimento de Mulheres Camponesas no Brasil. De uma fase inicial estreitamente ligada às Igrejas, este movimento de mulheres caminhou para uma autonomia em relação a elas, inclusive criando formas próprias de expressão espiritual. Se por um lado houve uma certa individualização e despolitização das crenças, por outro lado a influência da Teologia (feminista) da Libertação ainda permanece forte na atuação e na mística do Movimento. O desafio atual para a Teologia Feminista consiste em apoiar os processos de libertação das mulheres no campo, tanto na esfera privada como em termos de mudança socioeconômica, sem que se percam as origens cristãs do movimento.

Palavras-chave: Teologia Feminista. Teologia da Libertação. Movimento de mulheres. MST.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/cam.v10i2.2456

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais

Rodapé - Caminhos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


CAMINHOS | Revista do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-778X | Qualis CAPES Preliminar 2019 = A3

Visitantes - (09/03/2016 - 10/03/2020)

Fonte: Google Analytics.