Teologia da Libertação na Prática Ecológica: o Bispo e o Rio

Pedro A. Ribeiro de Oliveira, Fábio Adriano de Queiroz

Resumo


Resumo: a polêmica criada em torno ao projeto de transposição das águas do rio São Francisco mostra a luta de grupos sociais que encontraram num líder religioso a sua referência política. Tendo como referencial teórico as contribuições de Max Weber e Pierre Bourdieu para o estudo da figura do profeta, o artigo analisa o papel de D. Luiz Cappio no processo de mobilização social de setores da Igreja, do meio político, dos movimentos sociais e povos que abraçaram a causa da proteção ao rio São Francisco. A análise de documentos favoráveis e contrários a suas duas greves de fome (em 2005 e 2007) permite aprofundar o conhecimento da função profética como decorrência prática da Teologia da Libertação.

Palavras-chave: Profetismo. Igreja. Política. Meio Ambiente. Rio São Francisco.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/cam.v10i2.2455

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais

Rodapé - Caminhos
 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


CAMINHOS | Revista do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-778X | Qualis CAPES Preliminar 2019 = A3

Visitantes - (09/03/2016 - 10/03/2020)

Fonte: Google Analytics.