Viver Hermeneuticamente no Mundo: pragmática como ação humana intencional e situada

Osvaldo Luiz Ribeiro

Resumo


Neste artigo, pretendo esboçar a definição e as atualizações históricas do conceito de pragmática. Nesta primeira de, possivelmente, duas partes, tratarei da pragmática situada teleo-práxico-antropológica em Kant e Pierce, em oposição à  virada pragmatista lingüístico-idealista em Rorty. A pragmática de Kant e Peirce leva a sério a relação entre real, realidade, sujeito e ação situada, ao passo que Rorty considera a ação humana uma atualização idiossincrático-consensual de construtos lingüísticos fisicamente descolados e ontologicamente ilhados em si mesmos. A pragmática kantiano-peirceana, concluirei, situa o homem histórico-ecologicamente, e o define como ser hermenêutico-situado.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18224/cam.v7i1.1199

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais

 

Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição Sem Derivações 4.0 CC BY-NC-ND


CAMINHOS | Revista do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de Goiás | e-ISSN 1983-778X | Qualis B1

Flag Counter